Matriz: (37) 3214-0769
Filial: Catanduva/SP (17) 3523-9221

RECURSOS NATURAIS: COMO PROMOVER O CONSUMO CONSCIENTE?

Por:Nattacha Resende
Atualidade | Informações

23

dez 2020

A preocupação em relação à preservação dos recursos naturais é crescente, mas pesquisas mostram que ainda estamos distantes de viver em uma sociedade sustentável. Dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS) de 2017, divulgados pelo Instituto Trata Brasil, revelaram que o desperdício de água no país chega a 38,29%. Isso significa que a cada 100 litros, 38 ficam perdidos no caminho. Isso sem falar nas perdas de água causadas pelos maus hábitos dos usuários.

A má gestão desses recursos naturais pode resultar em um futuro complicado, pois não considera uma verdade básica: boa parte desses recursos simplesmente acaba.

 

O que são os recursos naturais?

Os recursos naturais são elementos disponíveis na natureza utilizados pelo ser humano para suprir as suas necessidades básicas e de produção. Eles podem ser:

• minerais (rochas, areia);
• biológicos (animais, vegetais);
• hídricos (mares e rios);
• energéticos (luz solar, vento).

Assim, eles fornecem os insumos essenciais para o desenvolvimento humano, econômico e social.

Apesar dessa grande importância, muitos desses recursos não se renovam, ou seja, acabam. Com base nessa característica, esses elementos são divididos em duas grandes categorias:

• Recursos naturais renováveis: são elementos que podem ser reutilizados ou reaproveitados após o seu uso, como a água, o solo, o ar, sendo necessária ou não a ação do homem para essa renovação acontecer;

• Recursos naturais não renováveis: são insumos que não podem ser renovados em curto ou médio prazo. É o caso dos minérios e do petróleo, por exemplo.

Em vista disso, torna-se fundamental utilizar esses elementos de maneira sustentável, garantindo que eles continuem existindo para fornecer meios de subsistência para as próximas gerações.

 

A urgência de pensar no consumo dos recursos naturais

Ser consciente no consumo dos recursos naturais e adotar práticas sustentáveis não se limita apenas aos elementos não renováveis. Afinal, mesmo aqueles que se renovam na natureza, quando utilizados em larga escala, podem se tornar escassos. Como assim?

Por exemplo, a água pode ser reutilizada. Mesmo após misturar-se a dejetos e virar esgoto, ela pode ser direcionada às estações, onde passa por diversas etapas de tratamento até ser despejada novamente no meio ambiente. Então, desde a retirada nos mananciais, passando pelo consumo e pelo tratamento, ela pode voltar a seguir o seu fluxo natural para ser reutilizada.

Mas se o desperdício for grande, ou a poluição inutilizar fontes de água doce e a demanda for maior que a capacidade dela se renovar, em algum momento não haverá mais, assim como já acontece em diversas regiões do mundo.

O caminho, portanto, está no consumo consciente dos recursos naturais — e isso é urgente! Segundo informações levantadas pelo Global Footprint Network (GFN), divulgado pela Agência Brasil, a humanidade já está consumindo mais recursos do que o planeta é capaz de gerar. Isso significa que o ser humano está causando uma sobrecarga por meio das suas atividades. O motivo disso, segundo a instituição, está no padrão de consumo que está crescendo.

Além disso, segundo o Panorama Global sobre Recursos 2019, publicado pela ONU, desde 1970 a extração de recursos mais que triplicou. Ainda, a extração e o processamento de alimentos, combustíveis e materiais são responsáveis pela metade da emissão dos gases de efeito estufa, e são geradores de mais de 90% de problemas hídricos e danos à biodiversidade.

Em outras palavras, o ritmo de consumo da humanidade está insustentável, e é preciso tomar medidas urgentes para frear a perda de recursos. Saiba, então, quais práticas podem ser adotadas nesse sentido.

 

3 práticas para um uso sustentável dos recursos naturais

1. Redução do consumo
Todos os dias, o consumidor é persuadido a fazer compras por impulso. Equipamentos de última geração, acessórios da moda, alimentos industrializados e coloridos, seja o que for, são muitos os atrativos que levam a compras motivadas pela emoção, e não pela necessidade. Segundo um estudo do SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito), 37% dos consumidores admitiram que compraram algum item que não precisavam nos últimos 30 dias.

Essas compras sem necessidade se refletem em um impacto muito negativo aos recursos naturais. Basta pensar em toda a linha de produção por qual o produto passou até chegar às suas mãos e quanta matéria-prima foi necessária. Somente uma calça jeans, por exemplo, gasta cerca de 10.850 litros de água para ser confeccionada.

Ao planejar as compras, você pensa na necessidade de ter um item e qual é o seu impacto ambiental, garantindo escolhas mais conscientes e sustentáveis.

 

2. Redução do desperdício
O descarte incorreto e o excesso de resíduos gerados pelas pessoas são grandes vilões do meio ambiente. Como vimos, o crescimento no padrão do consumo ao longo das décadas tornou a capacidade de o planeta gerar recursos simplesmente insustentável. O relatório Estado do Mundo 2010 apontou que o homem extrai 60 bilhões de toneladas de recursos naturais a cada ano, um valor 50% maior do que três décadas anteriores.

Mesmo considerando o aumento da população mundial, a intensidade no consumo não ocorre em ritmo proporcional. E isso leva a grandes problemas no outro lado da cadeia de consumo: o desperdício e o descarte incorreto do lixo. Nesse sentido, a solução é simples, mas desafiadora: reduzir o desperdício por meio do consumo consciente.

 

3. Valorização de práticas sustentáveis nas empresas

Analisando o Balanço Energético Nacional 2019, percebemos a participação majoritária do setor privado no consumo de energia no Brasil:

• transportes: 32,7%;
• indústrias: 31,7%;
• setor energético: 11,2%;
• serviços: 4,9%;
• agropecuária: 4,1%.

Em contrapartida, as residências são responsáveis por apenas 9,9% do total de gasto energético no país. No entanto, implementar estratégias sustentáveis é dever de todos. Isso inclui:

• reduzir o uso do papel;
• economizar energia;
• economizar na conta de água;
• adotar práticas de reciclagem;
• adquirir equipamentos com melhor eficiência energética;
• adotar o uso de transportes alternativos, como trabalhar de bicicleta ou transporte coletivo;
• não poluir;
• respeitar as leis ambientais.

 

É claro que as estratégias que visam promover o consumo consciente para a preservação dos recursos naturais não se limitam a essas. Mas é necessário estar ciente que chegamos a um nível de exploração dos bens naturais que está perto de um ponto irreversível em muitos aspectos. Tomar essas iniciativas desde já é uma ação ética, social e inteligente, pois expressa respeito pelo nosso planeta e todos os seus recursos que poderão garantir nossa qualidade de vida no futuro.

 

Fonte: Internet


Compartilhe: